Stewart Sukuma – Xitchuketa Marrabenta [2010]

Stewart Sukuma - Xitchuketa Marrabenta background
Stewart Sukuma – Xitchuketa Marrabenta [2010]
Stewart Sukuma
Xitchuketa Marrabenta

ouvir musica

previous
play_pause
next
speaker
0:00
0:00

Baixar Musica MP3 download icon

  • Author: Stewart Sukuma
  • Titulo: Xitchuketa Marrabenta
  • Categoria:
  • Ano: 2010
Stewart Sukuma - Xitchuketa Marrabenta Download mp3

biografia de Stewart Sukuma

Luis Pereira, conhecido como Stewart Sukuma é um cantor moçambicano. Seu nome artístico – Stewart Sukuma – significa ‘Levantar’ em Zulu e ‘Empurrar’ em suaíli.

 

Nasceu nascido em 1963, em Cuamba, província do Niassa em Moçambique . Vindo de uma família modesta, ele logo percebeu sua paixão pela música e em 1977 ele mudou-se para a capital Maputo, onde aprendeu a tocar violão, percussão e piano. Em 1982 ele juntou-se a um grupo de música como vocalista.

 

Ele ganhou o prêmio Ngoma em 1983 e logo se tornou um dos cantores mais tocados nas rádios nacionais de Moçambique, sendo descrito como “o vocalista masculino mais popular de Moçambique”.
Suas obras principais incluem canções como Felisminha , Xitchuketa Marrabenta, Sumanga, cantadas em línguas que incluem o Português, Inglês, suaíli e Echwabo.

 

Vida e carreira

Nascido numa cidade pequena, ele era um filho de um motorista de caminhão com uma renda modesta. Ele recebeu sua primeira guitarra como presente de Natal numa festa para as pessoas desfavorecidas e esta foi a rampa de lançamento para sua carreira profissional. Após a independência em 1975, Stewart começou como dançarino em algumas bandas de música. A morte da sua irmã mais velha, que havia deixado dois filhos e uma casa em Maputo, o levou para a capital de Moçambique em 1977 onde aprendeu a tocar percussão, violão e teclado e começou a cantar numa banda em 1982 .

 

Em 1983 ele gravou uma canção para a estação de rádio nacional – Rádio Moçambique – e no mesmo ano foi agraciado com o prêmio nacional de melhor artista revelação. Suas músicas começaram a passar com frequência na rádio, e ele se tornou o “cantor do povo”. Ele eventualmente trabalhado com a banda Orquestra Marrabenta Star. Mais tarde ele mudou-se para a África do Sul, onde ele lançou seu álbum Afrikiti em 1995.

 

Além da Orquestra Marrabenta Star fez parte de vários projetos e bandas entre eles, Alambique como percussionista/vocal , Mbila como vocalista e Formação 82 como percussionista/vocal.

 

Em 1998, Sukuma mudou-se para Boston , Massachusetts, onde ingressou na Berklee College of Music sendo o primeiro moçambicano a entrar nessa instituição.

 

Stewart já dividiu o palco com vários outros grandes artistas africanos como Angellique Kidjo , Ibrahim Abdullah , Oumou Sangare e Hugh Masekela . Desde 2009 tem digressões pela Europa e América Latina, apresentando em festivais como o Festival da Quaresma na Eslovénia, o Festival Kasumama na Áustria, o Festival der Kulturen na Alemanha, Tom de Festa e World Music festival em Portugal. No Brasil ele actuou no Itaú Cultural em São Paulo e no Flimar em Maceió. Na África do Sul participou do Cape Town International Jazz Festival.

 

Sukuma combina a música tradicional e contemporânea de Moçambique e instrumentação para criar música enérgica e dançante com sons Afro / Pop / Jazz. As melodias executadas por Stewart Sukuma são um reflexo das influências variadas ancestrais de Moçambique, incluindo a influência islâmica no norte de Moçambique, e da herança inevitável dos Portugueses espalhada em todo o país. Em 2010 ele iniciou um novo projeto musical para incentivar os jovens a tocar e ouvir marrabenta.

 

Discografia

  • 1995 – AFRIKITI
  • 2008 – NKHUVU

Singles

  • Felizminha – 2007
  • Wulombe – 2008
  • Olumwengo – 2009
  • Xitchuketa Marrabenta – 2010
  • Caranguejo – 2011

 

Compilações

1998: Novo Mundo Africano Bata Vol 4/Star piscina / Universal
2000: Moçambique Socorro / Naxos Mundial
2003: Musica da CPLP / Marcelo Salazar
2006: Contos de Moçambique / Sheer Som
2008: Zomba Mix / Disco
2011: Sofrimento / Unicef ​​/Neyma

 

Prémios

  • Prémio Award – Ngoma Moçambique 1992 – Josefina
  • Melhor Canção do Ano – Ngoma Moçambique 1994 – Julieta
  • Melhor Canção do Ano – Ngoma Moçambique 1996 – Afrikiti
  • Melhor músico – Mozart Award /UNESCO 1997
  • Melhor Canção do Ano – Ngoma Moçambique 2008
  • Personalidade Cultural do Ano 2008 – Jornal Notícas
  • Melhor Canção do Ano – Ngoma Moçambique 2010
  • Melhor Canção Alternativa do Ano – MOAMAS 2010

 

Artista: Stewart Sukuma

Titulo: Xitchuketa Marrabenta

Género: Marrabenta

Ano: 2010

Formato: MP3

Qualidade: 320 Kbps

VIDEO:

DOWNLOAD MP3

LETRA
Eu sou o olho
Que espreita sorrateiro entre os caniços
Do quintal da dona Maimuna
Os corpos lascivos e reluzentes
Eu sou a mão
Que batuca e que esfrega teu corpo no chão
Sou o sonho das pretas rebolando
(Dançando marrabenta)
Vem pra roda!

Vem pra roda, gira o corpo
Mãos nas ancas, senta embaixo
(Senta embaixo)
Xitchuketa marrabenta Mayo!
(Xitchuketa marrabenta Mayo!)
Vem pra roda, tira sapato
Levanta a poeira, senta embaixo
(Senta embaixo)
Reinventa a marrabenta Mayo!

Eu sou o pé que varre o chão
O pavor da solidão
Afugento a escravidão
Sou o pobre e sou o pão
Eu sou o pé que varre o chão
O pavor da solidão
Afugento a escravidão
Sou o sonho da canção
Sou isso tudo!

Vem pra roda, gira o corpo
Mãos nas ancas, senta embaixo
(Senta embaixo)
Xitchuketa marrabenta Mayo!
(Xitchuketa marrabenta Mayo!)
Vem pra roda, tira sapato
Levanta a poeira, senta embaixo
(Vem pra cima)
Reinventa a marrabenta Mayo!

Marrabenta é nossa história, nossa tradição
Vem do povo que nunca esquece, é o canto da nação
Nosso samba, nosso carnaval
É cultura de homem pobre com nobreza no coração
Vem do bairro e traz o sonho de crescer e se revelar
Se revelar no mundo da canção
Ei mama, vem bailar esta marrabenta!

Vem pra roda, gira o corpo
Mãos nas ancas, senta embaixo
(Senta embaixo)
Xitchuketa marrabenta Mayo!
Vem pra roda, tira sapato
Levanta a poeira, senta embaixo
(Levanta a poeira…)
Reinventa a marrabenta Mayo!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *